Mais Esportes
Parquinho, Orgulho do Parque, completa 50 anos com feijoada
14/11/2017

Paulo Francisco Sales, o Paulinho do Açougue, um dos fundadores e o primeiro treinador. (Futebol Bauru 08/11/2017)

Branco, Dal Col e Claudemir Afonso Pereira Godoy, o Caco, na Praça das Orquídeas onde tudo começou. (Futebol Bauru 08/11/2017)


Só conta história quem tem história para contar. E o Parquinho FC tem enésimas, nos seus 50 anos de fundação, comemorados em 15 de novembro de 2017, nos 128 anos da Proclamação da República do Brasil.

 

Em sua sede o clube vai comemorar a data Histórica com feijoada e homenagens.

 

Há 50 anos, em tarde de quarta-feira, grupo de apaixonados fundaram o clube. A iniciativa partiu dos senhores Belmiro Antonio Parreira, Francisco Norberto Ramos, Márcio Lúcio Parreira, José Álvaro Álvares, Paulo Francisco Salles e Fátimo Alberto Silva.

 

Semanas depois se somou ao grupo José Silvestre, o Bepe, cita o radialista Ubiratan Alves da Silva em matéria especial em dezembro de 1987, publicada por sua revista Ligado Esporte.

 

Na Praça das Orquídeas, onde hoje funciona a Escola Estadual “Joaquim Rodrigues Madureira”, ‘seu’ Bepe, após fazer a feira, à época no cruzamento das avenidas Rodrigues Alves com Nações Unidas, ainda em esboço, levava em seu caminhão Ford 1946 os garotos para jogos amistosos nos bairros de Bauru.

 

Primeiro time

Wanderlei; Orestes, Paulinho, Roberto e Cícero; Sílvio, Marinho e Zé Álvaro; Djalma, Tadeu e Nê, sob o comando do técnico Paulinho, foi a primeira formação do Parquinho, goleado pelo rival Madureira por 4 a 1.

 

Em 1968 o Parquinho passou a ganhar destaque ao conquistar invicto o torneio promovido pelo Correio da Noroeste, lembra a matéria do Ligado Esporte.

 

Do campinho na Praça das Orquídeas, o Parquinho mudou para campinho no Jardim Flórida, onde hoje funciona posto de combustível. Depois foi para a quadra 4 da Alameda Cônego Aníbal Di Francia e finalmente na Casa do Garoto.

 

O time, até 1978, quando se filiou à LBFA - Liga Bauruense de Futebol Amador para ganhar nove títulos em 12 finais disputadas, fazia jogos na periferia de Bauru, na região e disputava o Campeonato Varzeano Nivaldo Cardia, em campos de terra.

 

Terceira Divisão

O auge em 1986 sob a presidência do empresário Airton Daré, o time disputou, sob o comando do técnico Zé Rubens, ex-jogador e técnico do Noroeste, o Campeonato Paulista 3ª Divisão (hoje Segundona), alcançando 34 jogos invictos e sendo eliminado nas semifinais.

 

O time mandava seus jogos no Estádio Municipal Prefeito “Luiz Edmundo Coube”, no Jardim Araruna, onde a torcida “Carinhosa”, no apogeu com mais de 400 integrantes, superlotava o estádio.

 

Orgulho do parque, em alusão ao Parque Vista Alegre, o Parquinho, maior ganhador de títulos do futebol amador de Bauru, agora se insere no seletíssimo grupo dos clubes com mais de 50 anos ainda em atividade.

 

Seleto grupo

Além do Parquinho, São Francisco, do Jardim Bela Vista, 64 anos, Nacional da Vila Cardia, completando 60 anos e Independência, da Vila Independência, que em janeiro passado fez 53 anos.

 

O Parquinho e o São Francisco disputando a Copa Semel, organizada pela Semel - Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. Nacional e Independência no campeonato 1ª Divisão, da LBFA.

 

Ano passado o Parquinho se licenciou junto à Semel para reformar a sua sede, na quadra 3 da Alameda dos Jasmins.

 

Voltou neste ano. Ficou invicto nas 14 primeiras rodadas e está disputando as semifinais da 7ª Copa Semel.

 

Parquinho, disparado, o maior campeão do Amador

 

Parquinho, único do Estado a disputar 7 vezes o Estadual

 

Eny a eterna super madrinha do Parquinho

 

Erlinton Goulart, Especial para o Futebol Bauru

www.futebolbauru.com.br

15/11/2017


Voltar
adilsonbuffet.